post-title Mitos dos impactos e efeitos dos adoçantes sobre o corpohttps://i2.wp.com/www.clinicagastrobese.com.br/wp-content/uploads/Snap_2017.09.10_21h43m46s_015_.jpg?fit=944%2C677 2017-09-10 21:47:34 yes noPostado por

Mitos dos impactos e efeitos dos adoçantes sobre o corpo

Seja por restrições alimentares ou pela adoção de um estilo de vida, muitas pessoas tem eliminado ou diminuído o consumo de açúcar no seu dia a dia. Os adoçantes são uma escolha saborosa para substituir o açúcar e oferecem um estilo de vida equilibrado e gostoso de viver. Conheça alguns mitos sobre impactos e efeitos […]

Postado por

Seja por restrições alimentares ou pela adoção de um estilo de vida, muitas pessoas tem eliminado ou diminuído o consumo de açúcar no seu dia a dia. Os adoçantes são uma escolha saborosa para substituir o açúcar e oferecem um estilo de vida equilibrado e gostoso de viver. Conheça alguns mitos sobre impactos e efeitos negativos que o consumo diário da substância pode trazer para a estrutura corporal dos consumidores. Veja abaixo:

Mito #1: “Efeito Rebote” de fome

Os adoçantes não causam efeito rebote de fome, pois não afetam os níveis de glicose (açúcar) e insulina no sangue. Bebidas açucaradas, por sua vez, possuem alto índice glicêmico. Isso quer dizer que o açúcar deste tipo de bebida é rapidamente absorvido, elevando os níveis de glicose sanguínea. O organismo responde liberando insulina, é o chamado “pico de insulina”. A insulina carrega o açúcar que está no sangue para dentro das células. A queda abrupta da glicose sanguínea causa o “efeito rebote de fome”, ou seja, pouco tempo após a ingestão de alimentos com alto índice glicêmico é comum sentir mais vontade de comer.

Mito #2: Retenção de Líquido

Muitas pessoas acreditam que adoçantes à base de sacarina/ciclamato causam “inchaço”. Isso porque associam o sódio de sua composição à retenção de líquidos. No entanto, a porção de consumo destes produtos não contém quantidade significativa de sódio desses e seu consumo não é capaz de gerar esse efeito.

Mito #3: Celulite

Não existem estudos científicos conclusivos que comprovem a associação do consumo de adoçantes com o aumento da celulite. A celulite é uma inflamação do tecido celular. É mais comum em mulheres do que em homens. Estima-se que cerca de 90% das mulheres sofrem com este problema em algum grau. Esta diferença entre os sexos é possivelmente causada pelo hormônio estrogênio, que faz com que a mulheres acumulem mais gordura do que os homens. Outros fatores aumentam o risco de aparecimento ou pioram o aspecto das celulites, como idade (à medida que a pele envelhece fica mais fina, tornando a celulite mais evidente), hereditariedade, sedentarismo, cigarro, maus hábitos alimentares (dieta rica em sal, gorduras saturadas e carboidratos e pouca ingestão de líquidos), excesso de peso, alterações nos processos circulatórios e estresse.

A melhor forma de combater este problema é afastar-se dos fatores de risco evitáveis, sendo uma pessoa mais ativa, afastando-se do cigarro, alimentando-se de forma saudável, evitando o excesso de peso (e neste aspecto os adoçantes podem ser aliados), aumentando a ingestão de água (no mínimo 2 litros/ dia) e incluindo atividades relaxantes e prazerosas, que aliviam o estresse do dia-a-dia.

Mito #4: Aumento de Peso

Na realidade, como os adoçantes tem sido utilizados na substituição do açúcar na dieta, eles reduzem o valor calórico desta e indiretamente acabam por contribuir evetualmente na perda de peso. Com essa substituição contribui-se também para redução da ingestão de carboidratos, favorecendo a manutenção de níveis adequados de glicose e insulina, evitando assim aumento da ingesta alimentar por possível efeito rebote.

 

 

Mito #5: Gases

Não existe nenhum estudo científico conclusivo que comprove a associação do consumo de adoçantes com a produção de gases. Uma alimentação rica em açúcares e farinha refinada (como pão branco e massas não integrais) é mais suscetível à fermentação por bactérias intestinais e produção de gases durante o processo digestivo. Para evitar a formação de gases é essencial garantir uma boa digestão dos alimentos. Para isso, mastigue bem a comida, evite beber muito líquido durante as refeições, coma pequenas quantidades mais vezes ao dia e, caso seja viável, beba chá de hortelã antes das refeições para estimular uma melhor digestão e redução da formação de gases. O bom funcionamento do intestino também é um importante fator para evitar a flatulência. Por isso, faça uma dieta rica em fibras (cereais integrais, frutas, legumes e verduras) e mantenha um consumo adequado de água (no mínimo 2 litros/ dia).

Fonte: Gazeta Esportiva

Não podemos deixar de  expor a visão do professor e nutrólogo Lair ribeiro nesse vídeo em que fala dos adoçantes.

 

 

Veja a entrevista do Dr. carlos sobre a nova técnica de cirurgia corretiva SADI

 

Deixe uma resposta

Carregando…
%d blogueiros gostam disto: