standard-title Endocrinologia e Metabologia

Endocrinologia e Metabologia

A Endocrinologia é o ramo da Medicina que cuida dos transtornos das glândulas endócrinas, as quais secretam substâncias denominadas hormônios, que, através da corrente sanguínea, vão atuar em todo o corpo.

O Endocrinologista reconhece e trata os problemas hormonais ajudando a restabelecer o equilíbrio no organismo. Seu campo de atuação é extremamente vasto e entre as áreas de atuação estão:

– Obesidade: é o excesso de gordura no corpo. Ela pode ser medida pelo Índice de Massa Corporal (IMC) dividindo-se o peso (Kg) pela altura ao quadrado (m2). As pessoas que apresentam valores acima de 30 são considerados como obesos, o que significa que o excesso de gordura no corpo está representando um grande risco para a saúde. A gordura concentrada no abdômen é a mais prejudicial e está fortemente associada ao Diabetes, Hipertensão Arterial Sistêmica, Dislipidemia, Infarto Agudo do Miocárdio, Acidente Vascular Cerebral, entre outros. O diagnóstico da causa da obesidade e o tratamento orientado pelo especialista diminuem seus riscos e complicações.

– Diabetes: O Diabetes Mellitus é o excesso de açúcar (glicose) no sangue. A insulina, produzida no pâncreas, deve levar a glicose do sangue para dentro das células. O Diabetes é causado pela ausência ou mau funcionamento da insulina. Se a glicose ficar continuamente alta no sangue pode acumular nos olhos, nervos, rins e vasos, provocando cegueira (Retinopatia Diabética), dores nas pernas e pés (Neuropatia Diabética), perda do funcionamento do rim (Nefropatia Diabética), aumenta o risco para Infarto Agudo do Miocárdio, Acidente Vascular Cerebral e amputação de membros. Quem tem o açúcar muito alto no sangue pode sentir muita sede, urinar muito, perder ou ganhar peso de forma inexplicável, visão embaçada, tonteira e cansaço. História de Diabetes na família, sedentarismo, história prévia de Diabetes Gestacional, excesso de peso aumentam muito o risco para o desenvolvimento da doença. Se qualquer dos fatores de risco presentes, sintomas e/ou glicose elevada, você pode estar ou ficar diabético. Procure um endocrinologista para orientá-lo!

– Tireoide: A tireoide é uma glândula localizada no pescoço, abaixo do “pomo-de-adão”. Ela produz os hormônios T3 e T4, que funcionam como um “combustível” fundamental para o bom funcionamento de todos os órgãos. A diminuição dos hormônios tireoidianos é chamada de Hipotireoidismo, e o aumento de Hipertireoidismo. A tireoide também pode apresentar nódulos, que devem ser avaliados cuidadosamente pelo endocrinologista. Sintomas como aumento de volume no pescoço, queda excessiva de cabelo, alterações no padrão da menstruação, nervosismo, insônia ou sonolência, alterações no ritmo intestinal, coração acelerado ou desacelerado, perda ou ganho de peso, fraqueza muscular, cãibras, dificuldade de subir escadas, rosto e olhos inchados, excesso de frio ou de calor, podem revelar distúrbios.

– Crescimento: O crescimento deficiente ou excessivo pode significar distúrbios genéticos, metabólicos, nutricionais ou hormonais. O endocrinologista deve fazer a devida investigação e orientá-lo quanto ao melhor tratamento.

– Dislipidemia (Colesterol e Triglicerídeos): A alimentação inadequada, o excesso de peso, o sedentarismo e algumas doenças genéticas e metabólicas podem levar ao aumento do colesterol e triglicerídeos em adultos e crianças. O tratamento e a orientação adequados previnem futuras complicações cardiovasculares.

– Distúrbios da Menstruação: Diversos problemas hormonais se expressam com mudanças no ciclo menstrual. A falta de menstruação ou menstruação excessiva e abundante, ou mais de uma vez ao mês, necessitam de investigação e tratamento adequado.

– Distúrbios da Puberdade: Crianças que desenvolvem as características sexuais mais cedo, como crescimento das mamas, aparecimento de pelos pubianos e axilares e odor axilar, apresentam distúrbios hormonais e necessitam de uma avaliação quanto a origem do problema. Os adolescentes que não desenvolvem essas características, ou as desenvolvem muito tarde, também necessitam da avaliação de um especialista.

– Menopausa: A diminuição e/ou parada de funcionamento dos ovários, assim como a sua retirada, leva a uma série de sinais e sintomas da menopausa, que podem comprometer a qualidade de vida e a saúde da mulher. Ondas de calor excessivas, ganho de peso, ressecamento vaginal, incontinência urinária, diminuição da memória, dores nas costas e juntas, cabelos secos e quebradiços, pele ressecada, unhas frágeis, aumento do risco para Infarto Agudo do Miocárdio, Acidente Vascular Cerebral, Osteoporose e Fraturas Ósseas. A reposição hormonal, com hormônios sexuais femininos, pode amenizar sintomas, o desconforto, e os riscos causados pela menopausa. A avaliação do especialista é importante para avaliar quem pode, quem deve e que tipo de tratamento (hormonal ou não) cada mulher deve receber.

– Osteoporose e outras Doenças Osteometabólicas: A Osteoporose é caracterizada pelo enfraquecimento e piora da qualidade do osso. Portanto, pode ser causa de fraturas, provocando dores, diminuindo a altura e causando dependência para as atividades diárias. Acomete mais os idosos, principalmente as mulheres na menopausa, pessoas magras, sedentárias, tabagistas e etilistas. Alguns remédios (como o corticoide e anticonvulsivantes), insuficiência renal, dieta pobre em cálcio e imobilização prolongada aceleram esse processo. Outras doenças ósseas são causadas por problemas hormonais, como problemas do hormônio da paratireoide (Hiperparatireoidismo e Hipoparatireoidismo) e falta de vitamina D (Raquitismo e Osteomalácia). É importante uma avaliação cuidadosa com endocrinologista, para indicar o tratamento mais adequado das diversas alterações do metabolismo ósseo.

– Ginecomastia ou crescimento excessivo das mamas: O desenvolvimento de uma ou das duas mamas pode acontecer de forma esperada em algumas etapas da vida, porém podem não regredir ou significar algum problema ou variação hormonal.

– Excesso de Pelos e/ou Acne: Mulheres com excesso de pelos em localizações não habituais, como na face, nas costas, no peito ou no abdômen (hirsutismo); muita acne; aumento da musculatura; excesso de estrias grossas e violáceas pelo corpo, podem estar com produção excessiva de hormônios masculinos.

– Doenças da Hipófise: A Hipófise é uma glândula localizada no cérebro, que produz vários tipos de hormônios que coordenam e regulam as diversas outras glândulas espalhadas pelo organismo. As pessoas com problemas na hipófise podem ter produção de leite pelas mamas (fora do período de amamentação), mudanças no rosto, aumento do número do sapato, dores de cabeça e distúrbios visuais. O paciente pode relatar um cansaço excessivo, sensação de falta de energia, mudanças de humor e irritabilidade, diminuição da vontade de ter relações sexuais, dificuldade de ter ereção e alterações no peso. Uma avaliação hormonal e hipofisária adequada diagnostica o problema para o adequado tratamento.

– Doenças da Glândula Suprarrenal: Vários hormônios são produzidos pelas glândulas suprarrenais, que estão localizados acima e em contato com os rins. Alterações no seu funcionamento podem estar associadas ao ganho de peso, estrias grossas e avermelhadas, pelos excessivos, pressão alta ou baixa, puberdade precoce, baixa estatura, escurecimento da pele entre outras.

– Andropausa: É a diminuição da produção dos hormônios masculinos (testosterona) quando o homem envelhece. Diferentemente da mulher, essa diminuição não ocorre abruptamente, mas os sintomas podem progressivamente aparecer, comprometendo sua qualidade de vida, como: cansaço, falta de energia, diminuição dos músculos e da força muscular, osteoporose, falta de interesse por relação sexual, dificuldade de ereção, depressão, diminuição da memória e bem-estar. Muitas vezes necessitam da ajuda do especialista para fazer a reposição deste hormônio.

 

 

Carregando…

Deixe uma resposta