standard-title Cirurgia de cabeça e pescoçohttps://i1.wp.com/www.clinicagastrobese.com.br/wp-content/uploads/Snap_2017.07.19_18h54m32s_019_Chrome-Legacy-Window.jpg?fit=1103%2C893

Cirurgia de cabeça e pescoço

A cirurgia de cabeça e pescoço é realizada quando pacientes são acometidos por tumores que instalam-se nos lábios, língua, gengiva, bochecha, palato, amigdalas, pilares amigdalianos. Sendo o tipo de tumor maligno mais frequente o carcinoma de células escamosas, que corresponde a 90% dos tumores malignos, sendo os locais mais frequentes a língua (26%) e o lábio (23%), sendo maior sua ocorrência no lábio inferior. Esses tumores podem acometer pessoas jovens, sendo que 1/3 dos pacientes tem idade inferior aos 55 anos A maioria dos tumores malignos de boca e garganta são relacionados ao tabagismo, exposição ao álcool, falta de higiene oral, trauma repetitivo de próteses dentárias mal ajustadas, e atualmente vemos um aumento importante na incidência dos tumores nessas regiões relacionados a presença do HPV , o mesmo que causa o conhecido tumor de colo de útero nas mulheres.

Por isso, as formas de prevenir o câncer de boca e garganta são: a manutenção de uma adequada higiene oral. Evitar a exposição frequente e o uso abusivo de álcool. Visitas frequentes ao dentista para adequar próteses dentárias e assegurar sua saúde bucal com a redução de tártaro e cáries. Realização de sexo oral com proteção para reduzir o risco de infecção pelo vírus HPV. E a mais importante; que tem maior impacto na redução no número de casos e na redução da mortalidade por esses tumores; que trata-se de não se expor ao tabaco, e para quem fuma é necessário cessar o tabagismo. Aos tumores de lábio acabamos tendo com fator de risco a exposição solar, trauma repetitivo, trauma térmico. Dessa forma, a prevenção se dá pelo uso de protetor solar labial, redução a exposição solar e evitando a ingesta de líquidos muito quente.

O pilar do tratamento da maioria dos tumores de cavidade oral encontra-se no tratamento cirúrgico, que nos estágios iniciais possui um maior índice de cura e acrescenta menores sequelas. Nos estágios mais avançados acaba sendo necessária a complementação após tratamento cirúrgico o uso de Radioterapia e em alguns casos a associação de Quimioterapia.

Devido a morbidade do tratamento cirúrgico, que acaba por ser maior quando associado a Radioterapia tem-se a necessidade de prevenir e diagnosticar precocemente, pois dentre as sequelas no tratamento temos alteração da fala, mastigação, deglutição, boca seca e em alguns casos a necessidade até de manutenção de traqueostomia para respiração e alimentação por sondas ( nasoenteral ou por gastrostomia).

Quando devo procurar um cirurgião de cabeça e pescoço 1) Feridas em cavidade oral com mais de 15 dias de duração 2) Lesões brancacentas ou avermelhadas , dolorosas ou não 3) Dor para engolir não associada a quadro infeccioso de amigdalas ou sensação de algo entalado na garganta 4) Dificuldade para mastigar ou engolir 5) Mau hálito persistente 6) Inchaço ou nódulos nas bochechas, palato ou soalho bucal 7) Frouxidão ou amolecimento dos dentes 8) Nódulos no pescoço 9) Emagrecimento.

 

 

 

Elizia de Bitencourt | Cirurgiã de cabeça e pescoço | CREMERS 35646

Graduação em medicina pela Universidade Federal do Rio Grande – Rio Grande/RS
Especialista em Cirurgia Geral pelo Hospital São Vicente de Paulo – Passo Fundo/RS
Especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço pelo Hospital AC Camargo Cancer Center – São Paulo/SP
Especialização em Microcirurgia Reconstrutora pelo Hospital AC Camargo Cancer Center – São Paulo/SP.

 

 

 


Atendimento:

De segunda à sexta das 08h00 às 12h00
e das 13h30 às 18h30
Rua Uruguai, 1953, 7º e 8º andar 
Edifício Medcenter – Centro 
CEP: 99010-111 | Passo Fundo – RS 
TELEFONES:+ 55 (54) 3045-4070
EMAIL: gastrobese@gmail.com